Cimento

O cimento é um material essencial na realização de qualquer tipo de construção, ele é um material cerâmico que em contato com a água produz uma reação exotérmica de cristalização de produtos que são tratados, que com isto ganham uma grande resistência mecânica. O cimento portland por exemplo é feito de clinquer e de adições que diferenciam os outros tipos já existente, o que vai mudar de um cimento para o outro são as suas propriedades mecânicas e químicas, essas adições são ou não utilizadas conforme a sua localização geográfica ou seja dependendo do lugar em que se encontra ( Estado).

Sua composição se dá em:

Cimento

Tipo

ClínquerGesso(%)

Escória siderúrgica(%)

Material pozolânico(%)

Calcário(%)

CP I

Comum

100

CP I – S

Comum

95-99

1-5

1-5

1-5

CP II – E

Composto

56-94

6-34

0-10

CP II – Z

Composto

76-94

6-14

0-10

CP II – F

Composto

90-94

6-10

CP III

Alto-forno

25-65

35-70

0-5

CP IV

Pozolânico

45-85

15-50

0-5

CP V – ARI

Alta resistência inicial

95-100

0-5

O clinquer mencionado na tabela acima é o principal item utilizado na composição do cimento portland, a fonte de Silicato tricálcico e Silicato dicálcico já são compostos que trazem uma característica de ligante hidráulico e estão diretamente ligados com a resistência mecânica do material. O produção do clinquer é o núcleo do processo de fabricação do cimento, sendo esta a etapa mais complexa em termos de qualidade e custo. A escória silicatos é um material que tem como características de ligante hidráulico e é um produto que tem menor valor no mercado em relação ao clinquer, é muito utilizado também por aumentar a durabilidade do cimento principalmente em ambientes com presença de sulfatos, porém, a partir de certo grau de substituição de clínquer a resistência mecânica passa a diminuir. Existem vários tios de cimentos, cada qual para um tipo de função ou aplicação que seja a influencia dos tipos de cimentos na argamassa e concreto é relativos, podendo ampliar ou reduzir seu efeito conforme o uso que se dá no uso do aumento ou diminuição dos seus componentes, sobretudo a água e o cimento.

As características dos demais componentes também podem alterar a sua composição, areia, pedra britada, pó de pedra, etc. Também poderão alterar o grau de influencia resíduo de alimentos e matéria orgânica tais como folha e raízes, são pequenas coisas que não damos importância, mais que afeta e muito a propriedade do cimento e sua qualidade. Finalmente, podem-se aplicar os aditivos químicos para certos tipos de influências ou aumentar o efeito de outras, quando se fizer necessário ou se a pessoa quiser. Também é fundamental que se faça corretamente o adensamento e a devida cura das argamassas e do concreto, pois o mesmo mau feito podem gerar defeitos e problemas que surgem nas argamassas e nos concretos, gerando com isto baixa resistência, trincas, corrosão da armadura, etc..

Para se obter um bom adensamento é necessário uma boa vibração de uma maneira correta e adequada, o principal cuidado que se deve ter também para obter uma cura correta é manter as argamassas e os concretos úmidos após a sua realização, molhando-os com uma mangueira de água ou então cobrindo-os com sacos de papel molhados para que eles não se sequem rapidamente ficando danificados e gerando trincas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *